Último Curso de Meliponicultura de 2017 reúne 46 participantes

O último Curso de Introdução à Meliponicultura no Sítio Geranium teve 46 atentos participantes em dezembro desse ano. Esse foi o 10º curso ministrado no local mostrando a importância das abelhas no ecossistema.

A programação do curso inclui uma parte teórica sobre a as abelhas, parte prática com visitas aos meliponários, multiplicação de enxames e oficinas de isca pets.

Heráclito Sette é um dos fundadores do Meliponário Educador do Sítio Geranium e ministrou os cursos de meliponicultura do Sítio em 2017. Ele comenta sobre a importância das abelhas: “A ideia do Meliponário é fazer com que as pessoas conheçam as abelhas nativas, amem e as respeitem para então preservá-las”, sintetiza Heráclito.

Essa semente de respeito e preservação das abelhas é disseminada durante o curso. Esses pequenos animais ajudam na polinização das flores e consequentemente, auxiliam na geração de frutas e verduras mais saborosas, suculentas e nutritivas. E é claro, ainda produzem aquele mel.

O Sítio Geeranium conta com dois Meliponários e vários outros pontos com abelhas das espécies mandaçaia, mirim, marmelada, borá, cupira, lambe-olhos, jataí e Mandaguari. Todas as abelhas do Sítio são nativas e sem ferrão.

Sette comenta que o Brasil tem uma média de 300 espécies de abelhas, dessas em torno de 90% não são sociais, isto é, vivem solitárias sem formação de colmeia. Um exemplo são alguns tipos de vespas que vivem só ou em grupos de 4 a 12 indivíduos.

Em 2018 o Sítio Geranium continuará com os projetos de Meliponicultura. Aguardem novidades!

Escrito por Thaís Rohrer

  •  Blog